segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Tudo bem, ainda estou aqui.

De repente vida segue por uma estrada sem fim. A derrota se torna mais evidente do que as conquistas no fim do dia. Estranho chegar em casa e perceber como tudo foi tão mecânico, sem emoção, sem vida. A cabeça dói, o corpo grita por repouso e os olhos pesam. O único refúgio se encontra no quarto escuro, na cama desarrumada, no silêncio da solidão. Porém, há uma vida que não para. Então vc se esconde. Engole a seco o amargo gosto da decepção, estampa um sorriso de plástico no rosto, respira fundo para suportar a angústia que queima no seu peito, continua com suas obrigações de ser humano "normal" e espera. Espera cada hora passar, espera a noite ter fim, espera o dia nascer e ver tudo começar da mesma forma nesta estrada sem fim. 





quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Partidas e chegadas

Estou cansado deste ir e vir, 
chegar e partir, 
malas a fazer 
e um sentimento de mudança em cada passagem comprada. 
Em cada lugar sou outra pessoa. 
Mascaras que se sobrepõem, 
que rasgam a pele e faz sangrar a alma
e o vazio de nunca encontrar alguém que seja eu.



domingo, 13 de agosto de 2017

Renascimento

 Longo tempo sem me descrever. Algo como se o mundo parasse aos meus pés e diante do abismo que tinha a minha frente me joguei. Cai num longo espaço de tempo. Despedacei minha alma em pedacinhos pequenininhos. Hoje volto aqui para, de alguma forma, juntar os cacos e refazer a minha vida. Pretendo esse ser um recomeço, como o nome que recebi quando nasci: Renato (nascido de novo). Não sei se já contei a vcs, mas o nome deste blog, vem de algo que aconteceu há muito tempo e que ficou gravado em minha mente. No meu quarto, na casa dos meus pais, havia um lugar que ficava entre o guarda roupa e a parede. Um canto onde a luz não conseguia chegar e era ali que eu me escondia quando queria ficar só. Quando saí da casa dos meus pais, carreguei este lugar dentro de mim. Pode até parecer que isso seja ruim, mas era neste lugar que eu conseguia nascer de novo. Por isso que hoje volto aqui, neste CANTO ESCURO DO MEU QUARTO.


Consulta médica

Ele foi diagnosticado como: INICIALMENTE INCURÁVEL. 
De um modo estranhamente comum, deu-se uma reviravolta em torno de si mesmo.
Girou de lá,
girou de cá,
cambaleou 
e inutilmente caiu no mesmo lugar.
Dali não levantou mais.
Sendo levado ao hospital foi,
internado,
entubado,
engessado.
E foi aí que o médico diagnosticou: FINALMENTE INCURÁVEL.