terça-feira, 30 de agosto de 2011

Ridi pagliaccio II


A brincadeira acabou.
O sonho se desfez em lágrimas
que queimam minha face
e sangram no meu peito.

Por onde vc anda já não sou mais seu companheiro,
as rochas que vc pisa
meus pés já não mais alcançam;
agora caio em um precipício de sombras: o escuro canto de um quarto meu.

Permaneço quieto ali,
nenhuma palavra em minha boca para dizer o que eu sinto,
apenas minha alma
que grita dentro do meu peito a falta que faz o seu amor.
E assim outras vidas vou vivendo
nesse teatro que tão bem aprendi representar,
nele mais uma vez escancaro em minha face a feliz máscara do palhaço...


...que chora a sua solidão.