domingo, 28 de junho de 2009

Game Over!



Ok! vc venceu! Admito que sou um perdedor diante de vc. Afinal vc marcou minha alma quando nasci e serei seu para todo o sempre. Pode estraçalhar minha carne, que esta já não representa mais nada. Pode arrancar do meu peito o coração, pois já não serve para mais nada. Pode congelar minha alma, pq não existe mais nenhum sentimento para alimentá-la. Vc me queria? pois agora então serei todo seu. Não vou mais amaldiçoar sua presença, não vou mais te exaltar em noites perdidas, vou apenas me entregar a esse macabro jogo de ser sozinho.

Assim me entrego todo somente a vc: Minha Senhora Solidão!

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Solidão ensolarada



O que o diria o sol quando ver que minha cama vazia esteve ocupada por uma noite?
Será que vai rir da minha felicidade ou vai se esconder atrás de uma nuvem, bravo por te-lo abandonado?
Decerto vai correndo questionar a noite em como tudo foi possível acontecer.
Tomara que a lua lhe diga que teve o prazer de mais uma vez iluminar um amor.
Assim, voltará a se esconder entre as montanhas, sem saber que uma noite de amor apenas não é capaz de acabar com essa solidão ensolarada.

domingo, 21 de junho de 2009

Desconexa solidão



Caricaturas de um mundo estranho.

Vc foi lá ver como ele estava e ele te enxotou de sua vida só para dizer que é mal com alguém. Agora está sozinho num estranho transe de se deixar amar por alguém que ele nem conhece.

Estranho mundo este que nos faz carregar a solidão nos bolsos para se impor aos desejos abusrdos de uma noite amor.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Untitle # 7


Acabou meu cigarro, esgotou meu sonho, bato de frente com a solidão, última réstia de sentido em minha vida. Agora vai embora o meu desejo, deixando um adeus de quem nunca esteve aqui. Onde foi parar o sentido que eu tinha dado a vc? Virou pó, com o luar escaldante dos amantes que ardem em desejo. Resta-me apenas deixar que o dia vença a noite e acabe com esse pesadelo de não ter vc.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Meu jardim







Eu me apego em flores,
que com seus espinhos me fazem sangrar,
manchando de solidão
cada tentativa de ser amado.

Eu me apego em flores,
que cobre de negro minha sepultura
onde me enterreram ainda vivo,
antes mesmo de saber o que era a vida.

Eu me apego em flores,
que nasceram tão distantes, que minha vista não pode alcançar
mas que exalam um perfume tão doce
que alivia minha alma quando estou só.

Eu me apego as flores plantadas nesse jardim caótico e solitário chamado minha alma.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Hoje eu só queria


Hoje eu queria ...
...um amor que não arrancasse meu coração do peito,
mas que o fizesse bater lento,
quase parando.
...um beijo não de novela,
mas daqueles sutis, quase imperceptíveis,
que deixam a pele toda arrepiada.
...um som não de grito,
mas um sussurro, daqueles que se só se escuta ao pé do ouvido
e ecoa no peito.


Hoje eu só queria...que vc estivesse aqui.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

De volta ao canto mais escuro do meu quarto


Acabou! Já era! Só eu que ainda não percebi. Do meu lado cachorros uivam anunciando que lua hoje foi fazer festa em outro lugar, longe deste espaço ermo que se tornou meu coração. Já não consigo mais respirar, já não vejo mais um olhar que me traga interesse. Agora é assim, a solidão e eu, num campo de asfalto e poeira. Já dizia meu antigo algoz: a culpa é sempre sua... não adianta fugir. Resta-me agora vestir as velhas máscaras, erguer de novo o velho muro e voltar a este Canto Escuro do Meu Quarto, de onde aprendi...


...nunca vou poder sair.