sábado, 18 de abril de 2009

Na minha cama


Aonde quero estar não há espaço para entender o que eu sinto, apenas deixar que a mente vague perambulando entre devaneios e iluões perdidas no tempo. Arranca do meu peito, a sua imagem refletida na beirada de um olhar que se vai aos poucos sem deixar um adeus. Agora penso que um dia, ainda vou tornar respeitavel o nosso romance, que escrevi numa folha de jornal rasgado com um traço desigual de puro desejo. Onde foi que eu vi estes olhos que desorientam minha mente e me rasga o coração? Onde vi este sentimento que alimenta nossas bocas unidas em um só sussurro de paixão?


Acho que ficaram perdidos no incosciente daquela noite, que ainda habita minha cama, quando vou dormir se vc.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Tempestade


As nuvens carregam para longe o meu desejo
e desabam gota a gota o meu destino sobre um oceano
que eu não sei onde fica.
Tento desenhar seu rosto numa folha de papel,
mas as lágrimas insistem borrar seus olhos,
seus lábios...
me fazendo entender que vc não está aqui.
Grito ao vento que traga as nuvens de volta,
devolva o meu destino para dentro do meu peito
e seque essa mancha...

sendo assim talvez descubra quem é vc...