sábado, 18 de abril de 2009

Na minha cama


Aonde quero estar não há espaço para entender o que eu sinto, apenas deixar que a mente vague perambulando entre devaneios e iluões perdidas no tempo. Arranca do meu peito, a sua imagem refletida na beirada de um olhar que se vai aos poucos sem deixar um adeus. Agora penso que um dia, ainda vou tornar respeitavel o nosso romance, que escrevi numa folha de jornal rasgado com um traço desigual de puro desejo. Onde foi que eu vi estes olhos que desorientam minha mente e me rasga o coração? Onde vi este sentimento que alimenta nossas bocas unidas em um só sussurro de paixão?


Acho que ficaram perdidos no incosciente daquela noite, que ainda habita minha cama, quando vou dormir se vc.

8 comentários:

Luiza disse...

Ilusões perdidas,imagens refletidas, desejos ardentes, paixões que alimentam...enfim, o amor, será que um dia vamos entender como esse sentimento invade nosso coração, sem ao menos pedir licença?

Bjs

Luciéle disse...

bom.luz.
luz.
da foto bem.escuro.


a la caio f.
www.pecasdesconexas.blogspot.com


Luci

Gil. disse...

...existem mesmo noites que as perguntas são presentes, e as respostas nos escapam!

Renato disse...

É Luiza acho que nunca vamos conseguir isso, é um fator intrínseco dele esta mania chata de nos apanhar sem pedir lincença e sem deixar que escolhamos o alvo. rsrsrssrsrsrs

Bjos!

Renato disse...

OI Luciele!
Obrigado pela visita e fique a vontade para voltar quando quiser. Depois quero dar uma olhada com calma no seu blog pois parece muito bom.
Bjos!

Renato disse...

Oi Gil!
Pois é são estas noites que nos fazem pensar que o amor é algo que nunca poderemos responder.
Adorei vc por aqui!
Um bjo!

ivone disse...

O amor é insolito e implacavél.. as vezes nos mata de ternura para na manha seguinte nos debruçar na solidão...

Renato disse...

Pois é Ivone, mas acho que por isso que ele nunca morre dentro dos nossos corações, pois vivemos do inferno ao paraíso com ele.
Um grande bjo!