quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Untitled # 2


São meias palavras,
meias mentiras e
uma meia noite de prazer.
Um sonho que se desfaz em segundos
quando uma lágrima deixa,
seu lugar mais escondido,
para revelar a dor de não ter vc.
Aos poucos o tempo extingue
o desejo,
a paixão,
e leva embora o teu olhar.
Não existe uma história para contar
Não há mais nem um toque a ser dado,
apenas um vazio inerte
do fim que nem começou.
Não basta ter o tempo passado,
há de se ter um futuro vivido,
é quando me toma o seu cheiro
e me lembro que nunca mais vou poder sentí-lo.

6 comentários:

Borboleta de sonhos disse...

Lindo poema!!
Saudades de vc!!

Renato disse...

OI Ju!!!
Saudades tbm!!!
Obrigado pelo elogio!
Um grande bjo!

Moça do Fio disse...

Lindo!!

Adorei! É de sua autoria?

Abraços.

Renato disse...

OI Moça!!
Obrigado pelo elogio!!!!
Adorei seu blog tbm!
Um bjo!

litafigueiredo disse...

Que belo poema, amigo!
É cheio de emoção, de verdade e de realidade...
São detalhes sentidos por quem tem sede de amor. E vc coloca muito bem esses detalhes em seu poema.
Parabéns, poeta!

Renato disse...

Oi Minha Amiga Lita!
Não sei nem o que te dizer para agradecer tamanho elogio, vc tá criando um monstro pois estou me sentindo com tantos elogios vindo de vc que é uma pessoa tão especial. rsrsrsr
Um bjão para vc e muito obrigado!