sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Tem certeza?


Já viu a dor nos olhos de uma criança?
Tem certeza?
Não falo da dor escorrida
em joelhos raspados.
Não falo da dor fincada do estrepe
nos pés descalços que correm pelo jardim.
Não falo da dor egoísta
do brinquedo a ser dividido.
Não falo da dor angustiada
de medo pela travessura a ser descoberta.
Falo da dor da inocência
arrancada de dentro do peito.
Falo da dor da face mais terna
espancada sem um motivo qualquer.
Falo da dor alcoólica
que transgride e justifica atrocidades.
Falo da dor desprezada
de ser esquecido, ignorado e abandonado.
Falo da dor de sonhos removidos,
esperançanças despedaçadas e
de um futuro violentado.


Agora me responda:
Você já viu a dor nos olhos de uma criança?
Tem certeza?

8 comentários:

litafigueiredo disse...

Não, amigo, nunca vi essa dor que vc separou tão bem das dores inerentes à infância...
Essa dor que, com certeza, criança alguma devia sofrer.
Parabéns, amigo, escreves muiiiiiiiito!!!

Renato disse...

É minha querida amiga, essa é uma dor que poucos conseguem perceber, pois ela se torna tão profunda que as vezes fica dificil de reconhecer.
Obrigado pelo grande incentivo que vc sempre me dá.
Bjos!

Anônimo disse...

eu











































































































































eu tb nunca presencieiessa dor,graças a deus.parabens pelo texto,por sinal muito bonito r tocante









edor,graças a deus.parabens pelo texto,muito lindo.

Renato disse...

OI Anonimo!
Obrigado pela visita e pelo comentário e pelo elogio, fico feliz em saber que gostou. Fique a vontade para voltar quando quiser.
Um grande abço!

Anônimo disse...

Caro amigo, só hoje consegui entrar no seu blog. Desculpe-me pelo atraso em comentar esse grande texto. Não poderia ter sido melhor caracterizada a dor do abuso, nem melhor escrito o texto.

Ricardo Dabo

Renato disse...

Oi Ricardo!!!
Obrigado pelo elogio e fico feliz em ver vc por aqui. Não precisa se desculpar não, fique a vontade.
Um grande abço!

Ida disse...

Oi Renato, qdo passei aqui pela primeira vez li este texto, nao consegui comentar. Vi sim esta dor descrita, nao importa qto tempo passe, esta dor continua, marccante e viva, aprendemos a gerencia-la para que possamos continuar, as ela esta sempre presente.
Bom seria se toda dor que refletisse em um olhar puro de uma crianca fosse a de um joelho ralado.
Voltei em outras ocasioes pq admiro muito o que escreve, nao comentei em nenhum pq "tinha" que comecar por este(acho que me entende) Hoje conseguiu finalmente
Um abraco, parabens pelo seu blog
Ida

Renato disse...

Oi Ida!
Já tinha ficado muito feliz quando o Lucas me disse que vc tinha vindo até aqui e agora mais ainda com seu coment. Claro que entendo perfeitamente o motivo de vc ter que começar com esse pois pelo que percebi dos que comentaram aqui vc foi a única que realmente viu esta dor pois vc percebu que ela num some nem mesmo com o tempo.
Seja bem vinda e fique a vontade neste canto.
Bjos!