quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Diz para mim...


Fala que me ama...
Diga o quanto sou importante em sua vida desde que vc nasceu. Deixe o céu partir em mil cores de absinto para depois mergulhar num mar de prazeres. Ontem senti o seu cheiro se exalando pelo meu quarto e com uma febre alucinatória disse ao meu travesseiro o quanto te amei. Mas o dia nasceu estranho, como um desconhecido que brilha num altar de flores e numa prece desconcertada vi vc se afastar de mim como um anjo que busca o céu. Agora sento na beira de mais uma estrada sem fim em busca de um pouco de companhia nessa escuridão. Então digo ao vento:
_ Fala que me ama... diz que sou importante em sua vida desde o dia em vc nasceu...

2 comentários:

Pensadora disse...

Renato,

Gostei muito do seu texto. Me fez pensar que é muito interessante essa necessidade que todos nós temos de nos sentir amados, queridos. Isso é inerente a todo ser humano.

A grande verdade é que somos seres de relação. Não conseguimos ser auto-suficientes. O sentimento é nossa moeda de troca.

Beijos!

Renato disse...

Oi Paula!
Concordo plenamente com o que vc diz. O ser humano precisa se sentir a reciprocidade de seus sentimentos para que possa se sentir seguro daquilo que ele sente pois os sentimentos se alientam dessa reciprocidade senão acabam morrendo.
Só não imaginava que tivesse ido tão longe assim pois quando escrevi esse texto não tinha a menor intenção de passar sobre isso, mas fico muito feliz que tenha entendido dessa forma.
Obrigado pelas visitas.
Um grande bjo!