quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Olhares


Os olhos são cegos
o sorriso maldoso.
Não se olha no escuro,
não se esconde no espaço,

mas se vinga da morte,
levando ao inferno
a quem um dia errou,
a quem um dia amou.


Os olhos marejam
ao ver seu igual.
Se interna num hospício,

não vivo, mas particular.

Inventa mentiras,
liberta o coração,
mas morre aos poucos,

no escuro,

no chão.


E longe da vida

se joga no mar,

se afoga em dores,

dilacera a alma

e longe descansa,

no silêncio
sozinho
e enfim se livra
de seu algoz
seu vizinho.


Quem um dia o amou
partiu,
foi embora chorando
,
quieto,

infantil,

como se o tempo não viesse lhe socorrer

para levar de volta

e viver de uma vez por todas

o amor
.
Mas cegos são os olhos
e maldoso o seu sorriso,

que não enxerga no escuro

que no espaço se esconde
e com a morte se vinga
para levar ao inferno

quem um dia o fez errar,

quem um dia dia o fez chorar.

domingo, 24 de agosto de 2008

Mantenha a distância


Há um sentimento exacerbado de solidão quando me vejo rodeado por pessoas. Olho assombrado para cada olhar e percebo que não faço parte deste mundo. Estou longe num mundo particular de sonhos e devaneios que me impedem de chegar onde estão. Logo, são inocentes vítimas do meu sarcástico medo de interagir. Não, não sou bonzinho, legal e gentil, sou antes um vampiro que suga as suas forças para saciar minha sede de afeto. Então se afaste de mim, não olhe nos meus olhos, não queira me entender, pois existe dentro de mim um demônio que não me deixa ver a quem ataco. Enxugo mais um lágrima que parte de meu coração em direção aos meus olhos. Amarga, dolorida e manchada da com as cores da decepção de ter um dia confiado em alguém. Palavras são armas, enganam o coração, dilaceram a alma e te jogam no mais profundo abismo. Negra, a noite vem despejar sobre meus ombros o peso de mais uma vez ter acreditado que haveria sinceridade nas palavras ternas e afetuosas de uma pessoa. Maldita solidão que me faz mendigar atenção, e acreditar que sou importante na vida de alguém. Sina amldiçoada lançada sobre a inocêcia de uma criança. E então sigo o meu caminho pela noite, sugando cada gota de afeto, magoando cada ser que ousa cruzar o meu caminho e deixando cada vez mais de acreditar nas palavras de alguém que um dia eu nem sei se eu magoei.

Luxúria


Queria que vc estivesse aqui. Acordaria sem me mexer, só para sentir seu corpo junto ao meu a se movimentar no ritmo lento e pulsante de sua leve respiração. Deixaria que a luz do sol viesse incendiar o quarto trazendo aos poucos sua imagem nua, crua e repleta de desejos. Depois caminharia devagar e aos seus pés lhe serviria o mais completo banquete de prazer e luxúria. E quando se saciasse voltaria a me deitar junto ao seu corpo, para sentir, aos poucos, sua respiração voltar ao ritmo lento e pulsante de uma noite de extâse. Mas isso é só o que eu queria. Se vc estivesse aqui.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Versos infantis


Eu vejo a morte em seus olhos
Eu vejo a dor no seu coração
Eu vejo a cor negra de sua alma
Eu vejo a letra da última canção

Canção de ninar que termina em pranto
Brincadeira infeliz no fundo do quintal
Que na última hora, talvez por encanto
Arranca-se do peito, a inocência, com um punhal.

Punhal que não foi feito com aço
Mas com mãos impiedosas que perfuram a alma
Arrancam do peito o coração
Sem pena, com dor, com calma.

E no escuro de um porão
Vai chorar sozinho a dor que ainda sente
Por ser um homem sem ter sido menino
Por nunca sentir o amor no seu coração.

domingo, 10 de agosto de 2008

Pai...


Pai! Ô Pai! Cadê vc?PAAAAIIIII!! Por favor não me deixe aqui sozinho! Pai eu tenho medo, cadê vc! Por que me abandonou aqui neste lugar? Pai eu preciso de vc, por favor me responda? Sei que não sou um bom menino, sei que sou o oposto do que vc desejava como filho e que por várias vezes te decepcionei, mas Pai não me deixe aqui sozinho. Pai eu sinto falta de ser seu filho, de um olhar de cumplicidade como vc tem com os outros mas que é incapaz de trocar com seu filho. PAAIII!! Não quero seu dinheiro, seu suor para manter os luxos de um menino mimado, só peço um abraço seguro numa noite de pesadelo, um sorriso orgulhoso por ser como eu sou, só quero ter um pai. Pai! Ô Pai...