domingo, 21 de dezembro de 2008

Eu não sei amar



Amo com uma intensidade tão grande
capaz incendiar minha alma.

Perco a razão.
Meu coração já não bate mais,
repete insistentemente: eu-te-amo.
Meus olhos se fixam em um único ponto
e não sou capaz de desvia-lo: vc.
A cada centímetro distante de vc
é como um oceano a nos separar.
Mas demonstro com uma frieza tão gélida
capaz de permanecer calado por horas a fio.
Faço vc domir,
só para observar o seu sono mais profundo.
Quando acordas,
finjo estar adormecido para que não notes o meu prazer.
Miro seu olhar quando o desvia,
contemplo o espaço vazio quando percebo que me fitas.

Conclusão: EU NÃO SEI AMAR.

4 comentários:

ρoësis disse...

Não sabemos bem caro amigo. Mas sinto isso de ti. Cada uma de meus segredos escutados e guardados é de fato amor. Espero que sintas o mesmo comigo.

Renato, juntos estamos. E nao é bordão de dia dos amigos não, é de fato de coração, e sabes disso.

=)

Renato disse...

Poxa Emmanuel, nem sei que dizer, mas pode ter certeza que é reciproco.
Um grande abço meu amigo!

Paulo Sempre disse...

Há poucos blogues assim.
"canto escuro do meu quarto", representa um universo sofredor onde as emoções se alimentam e se perfilam de paradoxos "enssanguentados".
Feliz 2009
Paulo

Renato disse...

Obrigado Paulo pela visita, me sinto lisonjeado em saber que tenha gostado dos meus textos. Não tenho pretensões em criar nada em especial apenas de desabafar os delíros e devaneios de uma mente pertubada.
Um Feliz 2009!
E muito obrigado pela visita.
Um abço!