segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Sonâmbulo


Confundo o dia com a noite e vivo como um sonâmbulo a caminhar solitário com o sol a pino. Lembro que um dia, numa noite fria de verão vc chegou ao meu lado. Desconcertante momento de distração, deixei que caísse no chão meu último gole de razão que restava no copo, de vidro, que se espatifou aos seus pés espalhando todos meus sentimentos, que por tanto tempo guardei congelados em pequenos cubos de gelo. Mas vc nem notou. Limpou os respingos que te atingiram e saiu.

6 comentários:

Lucas Nietzel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renato disse...

Oi Meu Irmão!!
Longa história.... Depois te conto(brincadeira). Não foi só um momento de delirio mesmo.
Obrigado meu irmão, vc sempre tão gentil.
Um abço!

Lita disse...

Amigo, se não foi feito para alguém real, esse poema revela algo que vc imagina que acontecerá...
Muito bonito e, se vc quer saber, a parte que diz:"Confundo o dia com a noite e vivo como um sonâmbulo a caminhar solitário com o sol a pino." tem muito a ver com meus momentos depressivos.
Excelente!!!

Renato disse...

OI Minha Querida!!
Não tem alguém específico, mas é uma sensação que carrego comigo quando pesno em me aproximar de alguém, ou algo parecido com isso. rsrsrsrsr
Sinto muito saber que vc tem este tipo de sensação tbm.
Muiyo obrigado pela visita e por ser sempre tão gentil.
Um bjão p vc!!!

pi disse...

bem subjetivo renato. me identifiquei com o teu jeito de expressão!

=]

Renato disse...

Oi Emmanuel!!
Que prazer ter vc por aqui. Fico muito feliz que tenha gostado, fique a vontade para me visitar quando quiser.

Um abço!!