quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Olhares


Os olhos são cegos
o sorriso maldoso.
Não se olha no escuro,
não se esconde no espaço,

mas se vinga da morte,
levando ao inferno
a quem um dia errou,
a quem um dia amou.


Os olhos marejam
ao ver seu igual.
Se interna num hospício,

não vivo, mas particular.

Inventa mentiras,
liberta o coração,
mas morre aos poucos,

no escuro,

no chão.


E longe da vida

se joga no mar,

se afoga em dores,

dilacera a alma

e longe descansa,

no silêncio
sozinho
e enfim se livra
de seu algoz
seu vizinho.


Quem um dia o amou
partiu,
foi embora chorando
,
quieto,

infantil,

como se o tempo não viesse lhe socorrer

para levar de volta

e viver de uma vez por todas

o amor
.
Mas cegos são os olhos
e maldoso o seu sorriso,

que não enxerga no escuro

que no espaço se esconde
e com a morte se vinga
para levar ao inferno

quem um dia o fez errar,

quem um dia dia o fez chorar.

8 comentários:

Lucas Nietzel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mr.Magic disse...

Muito lindo!
triste..

Ana disse...

Renato
Que lindo...
Amei esse poema...Sem palavras para descrevê-lo...
Parabéns!!
Beijos
=***

Borboleta de sonhos disse...

Muito bom, rê!!!

Renato disse...

Oi Lukas!
Obrigado pelo elogio vc sabe o quanto te admiro e escutar isso de vc p mim é uma grande felicidade.
Um abço p vc!!

Renato disse...

Oi Pierre!!
Obrigado por me visitar e obrigado pelo elogio.
Vlw kra!

Renato disse...

OI Ana!!
Obrigado pelo elogio e por ser sempre tão gentil. Nem sei como te agradecer por sempre estar por aqui.
Um bjão p vc!!

Renato disse...

Oi Jú!!
Obrigado por me visitar e pelo elogio.
Vlw mesmo
Um bjão!