quinta-feira, 4 de setembro de 2008

O que vc não vai ver



Se vc visse a minha dor, entenderia o que eu quero dizer quando em silêncio deixo um olhar se perder . Foi com essa mesma sensação que um dia deixei que o mundo fizesse de mim meu próprio carrasco. Caminhei sozinho, catando migalhas de atenção. Criei um ser maquiado de felicidade e malícia para esconder o que meus olhos não poderiam denunciar. Vestido com as armas para ser normal, deixei a vida me conduzir para este abismo de solidão. Inverdades criadas, para num segundo após o teatro fechar sua cortina, descobrir que o holofote de mais uma ilusão se apagou. Mentiras ditas com tanta certeza que a realidade se confunde com o sonho de um dia ser feliz. O corpo cansado se entrega a mais uma noite de solidão e o amanhecer traz a dor por saber que ela ainda está ali, não foi embora com o sol da manhã, mas se senta impiedosa e senhora da situação na mesa do café da manhã. Mas minha dor está escondida em lugar que vc nunca vai chegar e sem vê-la nunca vai entender o que eu quero dizer quando se perde meu olhar.

4 comentários:

Lucas Nietzel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renato disse...

Oi Lucas!
Obrigado por ser meu fiel leitor, é sempre um felicidade ter vc por aqui.
Pois é não adianta querer saber da dor alheia se vc não é capaz de senti-la.
Um abço p vc e espero que esteja tdo bem ai.

Lita disse...

Amigo Renato, que texto tão bem explicado, tão bem feito, tão revelador de uma dor que dá para entendê-la como difícil de ser superada, difícil de ser aliviada. Amigo, estou espantada de ver-me aceitar que sua dor é tão real e forte que diante dela só posso calar-me. Parabéns!

Renato disse...

Oi Lita!
Nossa nem sem o que dizer a não ser agradecer pelo carinho. Dificil alguém que não sente essa dor entender o que ela significa.
Um grande bjo!