quarta-feira, 9 de julho de 2008

Obrigado amigo!




Com um certo atraso, posto aqui um poema feito pelo meu amigo Lucas para mim. Este poema tem uma coincidência que não poderia deixar de contar(apesar do Lucas já ter contado no blog dele). Ele foi postado pelo Lucas no seu blog no mesmo dia em que eu postei um poema para ele aqui (Mensagem a um amigo que está longe) sem saber que um tinha postado para o outro um poema. Obrigado amigo por esta homenagem, é nestas hora que vemos que amigos não precisam estar ao seu lado. Me sinto honrado em poder dizer que sou seu amigo.




"Na frieza de toda minha alma
Na morte de todos os meus sentimentos
Ainda me resta um resquício de calma
Calma esta que você me proporcionou
Enquanto a culpa me invadia
Em determinados momentos
Agradeço a você
Que nunca acreditou que a tempestade repentina
Pudesse devastar minha alma
Agradeço sua fidelidade
Mesmo vendo que todos os dias ao mais deserto eu me arremesso
Ainda não aceita a minha ruína
E me acompanha na estrada que atravesso
Amigo, agradeço a você que não duvidou da minha palavra sincera
Que não temeu os punhais que me atravessaram
Que compreendeu os momentos de ódio, de dor, de ira
E que não permitiu que as areias que foram jogadas em meus olhos
Viessem a me confundir
E me fazerem acreditar na culpa, na mentira
Você, que muitas vezes tirou as vendas dos meus olhos
Eu agradeço, imensamente
No sol que muitas vezes você me mostrou
Enquanto cruzávamos juntos as esquinas mais obscuras
Enquanto a dor em meu coração
Me corroia inconsciente
Na sua simplicidade
Hoje posso ver que você acreditava que havia uma luz
Que só eu acenderia
Uma luz que atravessaria os muros
E me levasse até a tão inalcançável liberdade
Onde eu fosse livrado de todo mal
As palavras que você, com cuidado
Sempre me dirigia
Para me transmitir a coragem real
Companheiro, alma caminhante
Todas as noites te enviarei um anjo
Para que contenha as lágrimas de dor
Que insistem em seguir adiante
As lágrimas que você derrama por sentir a minha dor
E saber que ela só se abrandava
Em meus estágios de euforia
Minha dor, sua dor.
Hoje venho te agradecer Renato
Por você agir como se eu fosse imortal
Por você ser tão amigo sim
E por eu saber que aconteça o que acontecer
Você jamais desistiria de mim



"E, quando nos sentamos lá, ouvindo os cânticos de natal eu quis dizer ao Brian que tudo ficaria bem. Mas era mentira, eu não conseguiria dizer. Queria que houvesse uma forma de voltar e desfazer o passado. Mas não havia nada que pudesse fazer. Então eu fiquei em silêncio, tentando por telepatia dizer o quanto eu sentia pelo que aconteceu. Pensei em quanto o mundo era triste, sofrido e corrompido e quis fugir dali. Quis de coração que pudéssemos ir embora do mundo. Voar com os anjos na noite e de forma mágica desaparecer. "

2 comentários:

Lucas Nietzel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renato. disse...

srsrsrsrsrrsrssr
Vc comentou sim Lucas.
Obrigado e pode ter certeza que vc tbm é um irmão p mim.