domingo, 29 de junho de 2008

Por mais esta noite


Ontem a noite acabou com uma lágrima que não quis cair e hoje o dia nasceu com ela despencando de meu coração. Caótico estar, em um lugar isento de afeto, carinho ou quem sabe ao menos um toque afável de uma mão caridosa. Um dia encontrei um lugar para ficar enquanto via minha vida passar, então me deixei ali ficar como se nada fosse possível de me atingir mas longe disso vi despencar dentre nunvens um luar sombrio para estragar de vez com a solidão de mais uma noite escura. Lá fora parece um campo de batalha onde crianças correm num jardim de flores sem se importar com os espinhos que um dia vão deixar cicatrizes profundas. Acabo-me aqui dentro deste apartamento, com a paz que insiste irritantemente a me lembrar o quanto eu estou sozinho, que me olha nos olhos e com flechas envenenadas de curare me paralisam em frente a porta com medo de sair. Ando por ruas que não são conhecidas só para esquecer a monotonia de mias um dia que se passou. Então fecho a janela do meu quarto, impeço que a luz de uma estrela venha me guiar e deito em minha cama com mais uma lágrima nos olhos preste a cair.

Um comentário:

Lucas Nietzel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.